A Desmemoriada de Brasília

Durante a gravidez, eu já tinha percebido que eu não estava lembrando perfeitamente das coisas. Parecia que tinha ficado mais avoada. Quando falava sobre isso com conhecidos ou com minha médica, a culpa era sempre dos hormônios, como quase tudo na gravidez. Contentei-me com a informação e segui adiante, procurando anotar tudo que precisava fazer para evitar deixar algo para trás ou pelo caminho…

Mas não é que depois do nascimento das meninas a memória continuou atrapalhada?

Nos primeiros meses, o cansaço era enorme. Isso contribuiu sensivelmente para meu déficit de memória. Aliás, nessa época, até o meu raciocínio estava mais lento. As vezes começava uma conversa e simplesmente me perdia no meio… um vexame.

Passada essa fase mais desgastante, aos poucos a memória foi voltando e o pensamento foi se organizando.

Mas, mesmo depois de um ano do nascimento das meninas, não posso dizer que sou a mesma de antes. Não sou!

Acho que a quantidade de coisas que se passa a administrar depois que se tem filhos, aliada ao sono que fica mais sensível e ao cansaço físico e mental pelo desgaste acumulado e pela falta de descanso, corroem um pouco da memória da mãe. Só pode!grc3a1vida-esquecida

Eu começo organizando alguma coisa na sala e, ao passar pelo corredor, me perco no caminho e já começo a fazer outra coisa totalmente diferente em algum outro cômodo da casa.

Inicio várias tarefas e não termino metade. Quando dou por mim, deixei de lado o que tinha começado há pouco para fazer algo diferente…

Antes de sair de casa, organizo mentalmente meu trajeto e tudo o que tenho que levar comigo; quando já estou no carro, na metade do caminho, percebo que larguei pra trás aquela sacola que eu tinha que ter levado.

Vou ao mercado com uma lista de coisas para comprar e, quando volto, vejo que me esqueci de colocar na lista um bocado de coisa importante (ok, lista de mercado não é uma dificuldade apenas minha, é algo universal talvez).

Eu tenho esquecido também algumas conversas. A pessoa jura de pé junto que falamos sobre determinado assunto e eu não tenho a mínima lembrança disso. Onde estava eu nessa hora, pelo amor de Deus?

Eu faço listas do que tenho que lembrar de fazer e me esqueço das listas. Ai quando tenho tempo sobrando (evento raro nessa vida), fico igual barata tonta rodopiando de um lado e de outro sem saber exatamente o que precisa ser feito.

Tento ler meus livros e fico voltando a leitura no mesmo parágrafo porque não consegui captar a mensagem direito… uma tragédia!

Datas de aniversário e datas comemorativas já desisti. Não lembro! Não adianta. Tenho que colocar lembrete na agenda do celular com alarme. Aliás, tenho tido que colocar tudo na agenda do celular e programar um alarme para conseguir me organizar com o mínimo de antecedência para os compromissos.

Não está fácil!

Talvez a solução para essa questão esteja em coisas simples como dormir direito, cuidar da alimentação, não se estressar nem se preocupar demais, fazer exercícios físicos regulares e descansar a cabeça. Talvez isso seja possível em um futuro próximo; ou em uma próxima vida, quem sabe. Enquanto isso, foquemos no aperfeiçoamento do esquema de listas e lembretes…

Anúncios

Um comentário sobre “A Desmemoriada de Brasília

Deixe aqui o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s