Viajar SEM filhos: quando, como e porquê?!

As meninas completaram dois anos e cinco meses e não, desde seu nascimento, eu e o pai delas nunca mais viajamos sozinhos. Na verdade fazemos poucos programas que não incluam as duas.

Sempre aparece alguém para dar conselhos (sempre!), não apenas sobre criação de filhos, mas também sobre a vida do casal. Normalmente, aparece alguém para falar da importância de o casal manter a sintonia e ter um tempo sem filhos para programas adultos. Será que esse alguém já pensou que estar longe dos filhos pode não ser uma necessidade real do casal naquele momento? Que essa pressão por um “tempo adulto” pode mais trazer ansiedade do que acrescentar algo positivo à rotina?

Viagem sem filhos 3

No nosso caso, estar mais próximos da Isabela e da Laura e abrir mão de programas que não incluíssem as duas foi uma opção por bastante tempo. Foi bem aos poucos que conseguimos nos desconectar e fazer programas de fato adultos, estando seguros e tranquilos para deixar as meninas aos cuidados de outras pessoas. Começamos devagar, com alguns programas curtos; viajar e passar dias longe das duas não era algo factível.

Percebo que os pais normalmente encaram esse processo com mais naturalidade. Para as mães, é uma decisão melindrosa que pode trazer certa contradição: a mãe quer, mas tem medo; planeja, mas se boicota no meio do caminho.

Na minha experiência, não foi bacana essa insistência externa para retomar uma “vida adulta”. Criou conflitos desnecessários e mais pressões em uma rotina exaustiva por si só.

Logo depois que o bebê nasce, é o momento de o casal se conectar com o novo integrante da família, que é pequeno apenas no tamanho, mas demanda grande atenção, doação e dedicação.

Esse tempo de fusão com o bebê e de imersão total na rotina doméstica não é eterno. Ele tem um prazo final até bastante curto se consideramos a vida toda pela frente.

Por que essa pressa em retomar a ideia da vida anterior ao bebê? Digo a ideia porque, na realidade, a vida nunca mais será igual. A começar pelo fato de que a relação com o sono, ócio e descanso pode ficar um tanto tumultuada, o que faz papai e mamãe quererem muito mais dormir do que jantar naquele restaurante badalado, assistir à pré-estréia do filme do momento ou beber com amigos no bar.

Algumas coisas perdem o sentido, para depois, com o tempo e no momento certo, ressignificarem-se dentro de uma rotina de vida nova, transformada. No tempo certo, essas vontades reaparecem e alguma disposição física também.

Só que esse é um processo íntimo e pessoal, que não está ai, exposto aos quatro ventos, para pitacos de quem quer que seja.

Cada um sabe a sua hora e a sua forma e vai aprender, mais uma vez com o tempo, a ser casal depois dos filhos e a manter sintonia e conexão dentro de um paradigma completamente novo de relacionamento.

Posso dizer que a hora de voltar a ter vôos independentes dos filhos chega.

Chegou para nós.

Pela primeira vez, estamos planejando uma viagem sem as meninas. É um misto de alegria e medo. É muito bom pensar em um momento só nosso fora da loucura da rotina diária e das demandas constantes das duas. Mas, ao mesmo tempo, dá medo do desconhecido que significa estar sem elas, afinal, foram mais de dois anos no convívio e proximidade quase absolutos.

Só que, quando a coisa acontece no momento certo para cada um, a vontade vence o medo, tudo flui e o processo é leve, mesmo que inclua certa dose de inseguranças e temores (naturais e até necessários).

Talvez, se eu tivesse me forçado a algo do tipo um ano atrás, não sentiria dessa forma leve e algo que deveria ser positivo acabaria se tornando um peso.

Receitas de sucesso na maternidade, já sabemos, não existem. Mas posso afirmar, sem medo de errar, que, para tomarmos boas decisões, precisamos respeitar o tempo e o espaço do outro e, acima de tudo, respeitar nosso próprio tempo e espaço. Senão, seremos sempre platéia da nossa vida quando deveríamos estar dirigindo o rumo dela…

 

Viagem sem filhos 2

Continua aqui: Nossa Primeira Viagem SEM Filhos!

Anúncios

Deixe aqui o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s