Rotina com Gêmeos – Parte I

Essa é uma das perguntas que mais recebo: “como é a rotina com gêmeos?”

Por muito tempo, minha resposta foi direta e reta: “não tem rotina”.

Realmente, nos primeiros meses, não havia rotina em casa no que se referia à Isabela e Laura.

As coisas aconteciam a toque de caixa e eu vivia para apagar incêndios.

Não havia hora certa para dormir e para acordar.

O padrão de sono das duas sempre foi diferente, desde o tempo de duração das sonecas, à forma de fazer dormir e o tempo acordada.

As mamadas eram em horários e tempos distintos, mas igualmente demoradas.

Talvez as duas gastassem a mesma quantidade de fraldas ao longo de um dia. Talvez…

IMG_2106

Até tentei estabelecer horário para banhos e passeios, mas os primeiros aconteciam na hora possível (normalmente no início da noite, quando não havia algum cocô bomba no caminho) e estes, no dia e quando eu tinha alguma sobra de energia para além das minhas necessidades vitais (confesso que eu vivia no limite da exaustão nos primeiros meses).

Nesse início, por absoluta impossibilidade física e também por razões de o dia ter apenas 24 horas, eu não consegui instituir algumas rotinas invejáveis de um mundo distante de banhos de balde calmantes, massagem relaxante ou shantala, momentos estimulantes no tapetinho de atividades, banhos de sol na melhor hora do relógio, músicas alegres e felizes para animar a tarde…

Eu ficava satisfeita em sobreviver ao final do dia com as necessidades básicas minhas e das bebês atendidas (mais as delas do que as minhas, muitas vezes).

Talvez essa seja a realidade em muitas casas com recém nascido, não necessariamente gêmeos, sobretudo no caso de mães de primeira viagem, como eu.

Não há rotina. E nem tudo são flores. Simples assim…

Vivemos um minuto de cada vez (porque um dia é longo demais e pode requerer altas acrobacias em se tratando de recém nascidos).

Por muito tempo, eu não consegui coordenar os horários das meninas.

Elas iam ao sabor do vento, cada uma no seu próprio ritmo (eu as acompanhava, obviamente).

Quando elas estavam próximas de completar seis meses, a coisa começou a melhorar.

As duas passaram a dormir, acordar e mamar em horários próximos, o que me permitia ter alguma programação do meu dia.

Depois da introdução alimentar, a rotina se estabeleceu um pouco melhor.IMG_2573

Foi possível delimitar os horários aproximados das refeições e das sonecas; o dia passou a fluir com certa lógica e organização.

Claro que isso nunca foi britânico: havia quebras de planos e de rotina com uma freqüência maior do que eu desejava. Acontecia de uma dormir mais que a outra e atrasar o almoço; de as duas demorarem a dormir e atrasar o lanche que se acavalava com o jantar e atrapalhava o banho e a rotina noturna. E por ai vai…

Talvez a palavra caos defina bem alguns momentos.

Mas não só no caos vive uma casa com múltiplos.

O passar do tempo traz certa ordem e calma.

Quando as meninas completaram um ano, a rotina já estava perfeitamente estabelecida.

As duas acordavam pela manhã cedo (em horários diferentes, claro, mas bem próximos; até porque a bagunça de uma acaba acordando a dorminhoca). Depois de mamar, as duas brincavam um pouquinho em casa. Algumas horinhas depois, lanchavam e desciam para brincar no parquinho; na volSocializando desde a barriga3ta, já tiravam uma soneca que terminava no horário do almoço.

A hora do almoço foi uma incógnita por certo tempo: cada dia era diferente do outro (isso, com o tempo, também se ajustou). Depois do almoço, Isabela e Laura brincavam até a hora do lanche da tarde e, depois do lanche, desciam novamente para um passeio ou parquinho. Voltavam para casa dormindo e acordavam perto do horário do jantar.

Depois do jantar, brincavam mais um bocado em casa e começávamos a rotina noturna de banho, historinha, música e mama, até o horário em que caiam no sono.

Esse sono à noite sempre foi deveras instável.

As meninas não tinham horário certo para dormir, apesar dos nossos esforços. Laura normalmente dormia mais cedo, enquanto Isabela resistia mais e acabava dormindo mais tarde. As duas acordavam bastante durante a noite, cerca de 4 ou até 6 vezes cada uma a depender do dia.

Até perto de um ano e meio, as duas mamavam a noite quando acordavam, o que tornava as madrugadas um tanto trabalhosas e longas.

A partir dessa idade, decidimos fazer o desmame noturno como uma tentativa de melhorar o sono das duas e reduzir as acordadas à noite, como contamos nos posts sobre rotinas de sono e o desmame noturno. Esses esforços trouxeram melhora no sono das meninas e diminuíram consideravelmente o número e a duração das acordadas na madrugada…

… Cenas dos próximos capítulos em construção… Aguarde!

Anúncios

2 comentários sobre “Rotina com Gêmeos – Parte I

Deixe aqui o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s